ADVENTISTAS

ADVENTISTAS

Tempo Agora

quinta-feira, 15 de março de 2018

O REI DE DEUS

Ontem, 14 de março de 2018, morreu aos 76 anos o cientista "POP" (popular/famoso) Stephen Hawking, que viveu a maior parte de sua vida numa cadeira de rodas, mexendo apenas as bochechas. Sofria da terrível doença Esclerose Unilateral Amiotrófica, onde muitos cientistas apelidavam carinhosamente como cérebro ambulante. As mídias não falaram outra coisa. Principalmente o universo acadêmico ligado a ciência, e mais precisamente a física. Foram inúmeras as homenagens em todo o mundo. Até os cristãos, muitos deles, de uma forma direta ou indireta prestaram sua homenagem, certamente influenciados pela mídia, pois alguns estão se comportando como crentes midiáticos. No que acreditava e defendia Hawking? (1) Teoria do Big Bang; (2) Buraco negros existentes e serviam de passagens para outras dimensões (outras vidas ou possibilidades?), pois roubavam energia deste "universo"; (3) Há corpos neste universo que surgiram pelo acaso e não pela mão de um Criador.... Apesar de nenhum cientista poder comprovar se as suas ideias são corretas ou não, pois nenhuma delas foram testadas, sobrou apenas um "pensamento de homem" onde os outros homens gostam de aplaudir de pé. Hawking ainda acreditava que a vida neste planeta poderia ser destruída por uma guerra nuclear; um cometa; virus geneticamente modificado ou pela inteligência artificial. Dava muito senti do a esta vida temporal e passageira e por isso foi autor de várias frases motivacionais sempre enfatizando esta vida: "Não importa o quão ruim a vida possa ser. Há sempre alguma coisa que você pode fazer e ter sucesso. Enquanto há vida, há esperança." Completamente diferente daquilo que Cristo e os apóstolos ensinaram, dando suas próprias vidas, não valorizando esta vida temporal, num mundo falido de pecados, mas olham e priorizaram a promessa da vida eterna, coisa que o cientista famoso não acreditava, mas depunha contra, mesmo que forma implícita e subliminarmente. Outra frase emblemática utilizada pela NASA e Universidade de Cambridge em homenagem final: "Olhem para as estrelas e não para os seus pés." E não poderia deixar de comprar com outra frase de alguém muito conhecido nas sagradas escrituras: "subirei as mais altas nuvens, acima das estrelas de Deus e serei semelhante ao altíssimo." (Isaías 14:14). Nasceu no dia em que morreu Galileu Galilei, 300 anos depois, e morreu no dia em que nasceu Albert Einstein. Ao contrário destes dois renomados cientistas, que defendiam a fé e o conteúdo das Escrituras Sagradas como verdade, Hawking desce ao túmulo sem a esperança em Cristo Jesus. Pelo menos nenhum testemunho a esse respeito foi escrito, e uma mínima linha, nos seus best sellers. Aos cristãos aconselho a parar de "adorar" homens e olhar para a majestade de Deus, dando-Lhe toda honra e glória, pois Suas Palavras testadas não falham. É tempo de crer no Evangelho e não em ideias, pois o tempo está próximo. Deus seja louvado! Amém.